Fabricantes se preparam para concorrer com o iPad

Fabricantes de computadores começaram a desenvolver estratégias e aparelhos para concorrer com o iPad, na esperança de aproveitar o novo interesse numa categoria de aparelhos que até recentemente estava moribunda.

Foto: Justin Sullivan/Getty Images/AFP

Executivos da HP vão se reunir nos Estados Unidos e em Taiwan nas próximas semanas para ajustar o preço e os recursos de um computador sem teclado apelidado de Slate, palavra em inglês que pode significar prancheta. A HP tem discutido a venda de uma versão do Slate — que é parecido com o iPad em tamanho e recursos e inclui uma conexão de celular — por um preço inferior aos US$ 629 que a Apple cobra por um iPad equivalente. Embora a HP tenha divulgado o Slate algumas semanas antes do iPad, a empresa decidiu esperar o anúncio do produto da Apple para “ajustar algumas coisas”, como o preço.

Executivos da Dell e Sony disseram estar acompanhando de perto a Apple enquanto refinam seus próprios produtos. E a Microsoft tem uma equipe secreta desenvolvendo um tablete com duas telas. “Para nós, o lançamento do iPad foi um divisor de águas”, disse Mike Abary, diretor da divisão de PCs Vaio, da Sony. Ele disse que a Sony, que vende livros eletrônicos com tela de toque e acesso limitado à internet, estuda quais aparelhos deve desenvolver.

A Acer, ao contrário, comunicou que não lançará um tablete para concorrer com o iPad, apesar de ter capacidade de produzir um equipamento idêntico ou melhor: “Apple criou seu próprio nicho, (…) concorrentes não serão capazes de atingi-lo apenas copiando”, declarou Scott Lin, presidente da Acer, líder do mercado de miniportáteis, os netbooks. Lin acredita que as vendas do iPad não vão impactar no mercado de miniportáteis, pois tratam-se de produtos diferentes para consumidores diferentes.

Grandes fabricantes de hardware e de software como a HP e a Microsoft tentaram durante anos, sem muito sucesso, conquistar as pessoas com computadores portáteis dotados de tela de toque, embora alguns tivessem teclado e nem todos fossem chamados de “tablet”. Hoje em dia, os PCs de tela de toque com e sem teclados respondem por menos de 1{2924376de9395e8cfc15acd815d9baaef6b6fe70f0a6744e7eb0f6aa07a10724} das vendas mundiais de computadores, segundo a firma de pesquisa de mercado Gartner.

[Via Valor Econômico]

Marco Andrei Kichalowsky

Editor-chefe do macnarama.com, é applemaníaco e trabalha com produtos Apple desde 1993. Foi presidente do Brasil Apple Clube durante 10 anos e colaborador da saudosa Macmania e sua herdeira MAC+ até o fim da revista em 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *