Intel muda de discurso

Nada como levar um tombo. Com a política agressiva da AMD tanto no preço como na performance e velocidade de seus chips, a Intel está mudando a nomenclatura de seus processadores, criando famílias que serão identificadas por números: Celeron serão da série 300, Pentium 4 serão 500, e assim por diante.

Não é só uma mudança de nomenclatura. É uma mudança de discurso. “Isso porque a velocidade em Megahertz não é mais a melhor maneira de escolher o melhor processador para um tipo de trabalho específico”, afirmou Don MacDonald, vice-presidente de vendas e marketing da Intel. “O foco em Gigahertz não é mais útil para os consumidores”, complementou.

Engraçado que a Apple já tem essa idéia há muito tempo. E a Intel era a primeira a ridicularizar, dizendo que a Apple vendia tecnologia ultrapassada para os seus consumidores. A Apple entrou nessa, querendo que seu G5 fosse a máquina mais rápida do mundo. Mas de que vale eu ter um Pentium 4 1.7GHz se o meu PowerMac G3 300Mhz faz a mesma coisa que preciso com o mesmo desempenho?

O que interessa é o que o computador faz para o usuário e não necessariamente a tecnologia envolvida nisso. A performance dos Macintoshes está baseada em processadores velozes sim, mas tem uma forte base de software. As constantes otimizações do Mac OS em suas versões é a prova disso. Continuo com o mesmo processador, mas tenho um sistema mais rápido.

Usuários de Windows têm isso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *