“Revendas da Apple não são laboratórios”

Foi o que declarou Natalie Kerris, diretora de relações púbicas para produtos e tecnologia da Apple, quando comunicou que Robert Morgan, responsável pelo site de benchmark BareFeats, não está mais autorizado a testar as máquinas de suas lojas.

Apesar de a Apple negar, a proibição pode estar ligada aos testes de performance de vídeo do iMac G5 publicados pelo BareFeats. Nestes testes, o site demonstra que o novo iMac é apenas um pouco mais rápido que o iMac G4, diferente do que foi publicado pela Apple, que fala em três vezes mais.

A Apple já deveria saber que omitir informações é sempre um tiro no pé. Melhor que isto, seria prestar atenção no que Morgan tem a dizer e entender porque a sua máquina apresentou o resultado no teste.

Admitir um erro não é muito agradável, mas o que os usuários de Mac querem receber da Apple é honestidade e ação, verificar se o erro existe e resolvê-lo o mais rápido possível, através de reexame da arquitetura da máquina, mudança no texto do site, seja lá o que for.

Impedir o livre acesso de clientes aos seus produtos, inclusive dentro de lojas que não são suas, é um ato de covardia, que não condiz com a história de pioneirismo da empresa.

Saiba mais
Wired News: Barrado na loja da Apple

Marco Andrei Kichalowsky

Editor-chefe do macnarama.com, é applemaníaco e trabalha com produtos Apple desde 1993. Foi presidente do Brasil Apple Clube durante 10 anos e colaborador da saudosa Macmania e sua herdeira MAC+ até o fim da revista em 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *